Pra q nexo?

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Como se fosse a primeira vez...


Tudo, exatamente tudo se transformou, cada tom de voz, cada toque de pele, cada sorriso, palavra, brincadeira.

É bobo. É a mais boba forma do gostar, mas é a minha. Aquela platônica no sentido irreal e mais usado, mas que gostaria de ser mais que isso.

Subjetivo. Nada de concreto, nada de clareza ou de demonstrações óbvias. Seria bom fosse ele um leitor de entrelinhas.

Quieto. A espreita dos acontecimentos que poderiam influir e já influenciam. Só esperando uma nova desilusão para se diluir.

Triste. Uma vez que consciente que suas limitações, de sua falta de chance para uma sobrevida.

Mas não é o primeiro. Eles, "os gostares", parecem ter uma fórmula geral,com constantes e incógnitas variadas, mas que sempre convergem para o mesmo resultado. Uma lembrança + vários arrependimentos.

2 comentários:

  1. Texto perfeito, assim como todos ou outros textos. Venho sempre aqui viu! beijo, Laurinha Valverde.

    ResponderExcluir